terça-feira, 23 de setembro de 2008

Infoglobo

Segundo Alberto Dines - Observatório da Imprensa -, as Organizações Globo relançaram a Infoglobo, empresa que editará o jornalão carioca, seu site, o noticiário via celular e, posteriormente, a CBN e a GloboNews, ambas com projetos multimeios em andamento.

Parece ótimo, né? A idéia é ambiciosa e está muito relacionada com a tecnologia e às modernas formas de comunicar e fazer jornalismo. É um movimento positivo no sentido de agilizar a informação, comunicar com rapidez e de forma contínua. Mas não é tão simples assim.

É bom lembrar que antes de mais nada, o jornalismo se faz com profissionais, com PESSOAS. Aparatos eletrônicos, estrutura física e dinheiro não fazem as notícias. Como bem ressaltou Dines, esse projeto precisa de jornalistas, e há tempos os meios de comunicação estão indo para o caminho inverso: cortar custos com pessoal - mesmo diminuindo a qualidade dos conteúdos.

Vale a pena ler a análise de Alberto Dines sobre o assunto. http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=504IMQ001

2 comentários:

Gustavo Assumpção disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Atento disse...

Preliminarmente: Parabéns pelo blog. O nome então é absolutamente sujestivo e bem sacado: LAMBIDA DIGITAL, é ótimo.
Parece que não teremos como fugir a toda a "modernização" da comunicação, antes restrita, ao jornal e revistas impressos, radio e tv, e agora "indomavel" pela internet com todos os seus mecanismos e formas cada vez mais velozes e sucintos.
Contudo, penso que não terá como os "fazedores" de jornalismo em geral, no caso em tela as organizações Globo, deixarem de contratar jornalistas (diplomados ou não), porque não há como fazer esse serviço sem a pessoa habilitada.
Não podemos menosprezar os jornalistas que não são diplomados porém habilitados (e entre estes, alguns são considerados os melhores do pais). Estes também passaram anos, trabalhando e aprendendo na pratica das redações e das graficas, o fazer jornalistico. Se é injusto acabar com a obrigatoriedade do diploma, também o é "discriminar" o profissional do jornalismo sem diploma, porém habilitado, até mesmo com registro no Ministério do Trabalho (mas ainda que sem este registro também merecedor pelos anos de experiencia).
Penso que não devemos nos preocupar com a possivel ou já materializada diminuição na contratação dos profissionais no trabalho dos veiculos, mesmo pela internet.
A questão só é que, está havendo menos necessidade de se recorrer a reporteres, porque a informação está sendo "produzida" e oferecida pelas próprias fontes, e isto devido a facilidade propiciciada pela propria internet.
Os que trabalham na imprensa, de um modo em geral, terão que conviver e se adaptar a isso, que tudo indica, queiramos ou não é caminho sem volta.
Esta é a constatação a que chegamos, com a serenidade possivel.