quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

AS DUAS GRANDES REVOLUÇÕES DO JORNALISMO

Segundo Ciro Marcondes Filho, é claro...

A primeira revolução do jornalismo acontece na fase que conhecemos como segundo jornalismo, que vai de 1830 a 1900 e adota o modelo de imprensa de massa. Essa primeira revolução tem como principais características o furo, a atualidade, a neutralidade. Nesse periodo criam-se a reportagem, as enquetes, as entrevistas, as manchetes; investe-se nas capas, logotipos e chamadas de primeira página. Sobre os aspectos funcionais. Pode-se citar o advento das rotativas e a composição por linotipos (1890); telégrafo e telefone. O nascimento da agência havas e a intensificação da publicidade. Menor o peso de editores e redatores; Os títulos passam a ser feitos pelo editor. Os agentes desse processo são jornalistas profissionais, pois trabalham apenas para jornais. O veículo jornalístico assume moldes de empresa, ou seja, jornal tem de dar lucro. As tiragens sobem de 35 para 200 mil exemplares.

A segunda revolução acontece com a chegada da informação eletrônica. Inicia com o chamado quarto jornalismo, em 1970 e permanece até os dias de hoje. Esta fase tem como principais características a informação eletrônica e interativa; impactos visuais, velocidade e transparência. Para o barateamento da produção, acontece a implantação tecnológica. O agente deixa de ser somente o jornalista e passa a ser toda a sociedade. Surgem as redes/sistemas informatizados e a economia migra para a tevê e para a internet. Instala-se a crise na imprensa escrita.

Feito! Aguardem o spot da festa de final de semestre...

Um comentário:

carolinluz disse...

Seu texto está muito interessante, parabéns.