quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Isto já se faz em Teutônia

O post do professor Demétrio no último dia 7 (entitulado Leiam. É muito importante.), que fala da pesquisa realizada na Grã-Bretanha, retrata a realidade atual dos jornalistas britânicos em grandes centros. Apesar de não ser muito recomendado falar do próprio umbigo, digo de boca cheia que aquilo que foi descoberto lá já é feito, há muito tempo, em Teutônia, cidade do Vale do Taquari, no Rio Grande do Sul.
O grupo de comunicação no qual trabalho (Popular) possui redação integrada - rádio e jornal - desde 1989, quando surgiu. Evidentemente que acompanhou evoluções tecnológicas e ainda não há um jornalismo digital (ou on-line) bem estruturado, porém a maioria dos repórteres vai a campo para captar informação, fotografa, seleciona e edita as fotografias e, no meu caso, até mesmo compõe a página no computador. Falta só apertar o botão da impressora da gráfica, o que não está muito longe de ocorrer.
Aliás, esta realidade é muito comum nos jornais interioranos, onde praticamente todo mundo precisa saber fazer de tudo. Claro que o ideal é termos especialistas em cada área, porém como as fronteiras dos papéis estão caindo por lá (Grã-Bretanha), porque nós aqui, que já não as temos, queremos construí-las?

3 comentários:

Demétrio de Azeredo Soster disse...

Você tem razão, Lucas: por estes lados isso já é uma realidade há tempos. Comentei isso no post do GJol, quando da divulgação da notícia original: http://gjol.blogspot.com/2007/12/unio-dos-jornalistas-britnicos-avalia.html#links

Tiago disse...

e tu consegue fazer tudo isso, respirar, assobiar e ainda chupar manga?! lucas, tu é o cara!!!

Lucas disse...

Não tudo ao mesmo tempo, é claro, meu nobre amigo Tiago. Mas a gente faz o possível e o máximo.