segunda-feira, 20 de agosto de 2007

Opa!!..Alto Lá!!!

Acho que o assunto se encaixa "como uma luva" no tratado na última aula. O papo sobre a "credibilidade" dos meios.
Em link retirado do Observatório de imprensa (Carlos Castilho - post in 17/08/07) o Jornal O Estado de São Paulo resolveu ironizar os weblogs na tentativa de mostrar que eles não merecem ser lavados a sério, numa campanha onde o alvo indireto é o fortalecimento da credibilidade do veterano órgão da elite quatrocentona de São Paulo. Abaixo segue trecho do post de Castilho.

"A iniciativa revela mais as preocupações do Estadão do que as debilidades dos weblogs em matéria de confiabilidade e exatidão das informações que publicam.

Se o jornal quisesse mesmo prestar um serviço ao público teria enfatizado a necessidade de um posicionamento crítico, em vez de uma inútil tentativa de desqualificar um canal de comunicação adotado hoje por quase 70 milhões de pessoas em todo mundo, inclusive pela maioria dos jornais.

Os blogs não estão acima de qualquer suspeita em matéria de veracidade das informações que publicam. Muito menos jornais, como o Estadão, porque é crescente a consciência de que o conteúdo de todos os veículos de comunicação deve ser visto de forma crítica, o que não significa hostilidade e nem desconfiança.
A desastrada campanha publicitária do Estadão provocou a reação imediata da comunidade de blogueiros. Alguns deles chegaram a pegar pesado, como o Banda Podre, que usou o episódio Pimenta Neves, que nada tem a ver com a questão da credibilidade do jornal.

A realidade contemporânea se tornou demasiado complexa para ser condensada nas páginas de um jornal, revistas, no noticiário radiofônico ou nos telejornais. Em vez de se preocupar em desacreditar concorrentes ou blogs, o Estadão deveria começar pelo próprio quintal, porque só assim ele poderia mostrar o caminho para busca de solução de um problema que é um desafio para toda a imprensa e também para os blogs.

A questão da credibilidade nos meios de comunicação é muito mais séria do que as piadinhas dos spots publicitários do Estadão. Ela não vai ser resolvida com ironias, que servem apenas para mostrar a falta de informação do jornal sobre a complexidade da comunicação contemporânea."

E nós futuros jornalistas, que vimos a internet e os meios de informação que ela disponibiliza como ferramentas de aprimoramento e exatidão?..Será que nosso blog, por exemplo, não é confiável?..Não possue credibilidade suficiente para repassar tais informações?

Talvez ai esteja questões para serem discutidas. A que ponto o meio virtual de informação, pode ser tratado com exatidão naquilo que informa?

Abraço a todos...



2 comentários:

Tiago disse...

Olha professor, eu ando me perguntando, por mais bizarro q isso possa parecer, até que ponto a credibilidade é importante em textos da web.

Sim, é um questionamento estranho, mas pertinente, no meu ponto de vista.

Nicole disse...

olha,particularmente, acho isso muito relativo. de fato há mal uso de ferramentas da web por sites de comunicação,da mesma forma que algumas empresas não sabem se utilizar de material impreso.assim, às vezes dou maior credibilidade a grandes portais de informação do que a jornais impressos com menos tradição.