terça-feira, 2 de outubro de 2007

Transposição de linguagem na web

Nesta tarde uma manchete chamou minha atenção. Notícia veiculada hoje na Folha sobre hackers que teriam invadido a página da emissora TV Record carregava a seguinte expressão: “Pirata virtual invade site da Record e faz pichação”.

Pichar significa “Escrever em muros, paredes, postes, etc”* geralmente utilizado num sentido pejorativo. O prato do dia é: o que vocês acham da transposição de expressões do mundo real para o mundo “virtual”?

*Dicionário capenga, feio e velho, mas muito útil na minha vida – Soares Amora – editora Saraiva.

4 comentários:

Demétrio de Azeredo Soster disse...

A mim parece um fenômeno (a transposição de linguagem) próprio de um momento em que ainda falta vocabulário para definir o que é específico de cada suporte. Peguemos o tradicional escrever, mais afeito ao lápis e à caneta: ainda escrevemos e-mails, quando o correto seria digitar.

Malvada disse...

Mas professor, não te parece, neste caso, algo pensado com a intenção de chamar a atenção do leitor por meio do estranhamento?

Demétrio de Azeredo Soster disse...

é possível. mas, neste caso, como observar a questão "intencionalidade", ou seja, o foco no estranhamento como mecanismo por meio do qual se possam atingir este ou aquele resultado?

Isma disse...

Quem sabe eles utilizaram este termo por ser conhecido. Pois se a manchete falasse algo do tipo - ...alteraram códigos via Java Script ou My SQL – chamaria a atenção apenas de um grupo reduzido. A mim já não interessaria. Os termos digitais são poucos conhecidos, e sabe-se lá se algum dia vão ser de domínio da grande massa. Enquanto esta “transição” não chega ao fim, vale tudo para prender a atenção do internauta.